Aifo era um jovem celular,
Vivia na mão do pai de Marina.
Ele achava que ajudava o adulto
Mas Aifo atrapalhava a filha.

Ela achava que Aifo era feito
Pra mão do pai brilhar.
Pois, desde que veio ao mundo,
Sempre viu Aifo naquele lugar.

O criador de Aifo dizia:
Aifo, nada de atrapalhar!
Se for incomodar,
Entre em “Modo Avião”,
Mas Aifo insistia
Em dizer simplesmente não.

O criador se preocupava,
Porque o moço que era o patrão
Dava muita atenção pra Aifo,
Mas pra Marina não.

O criador mandava Aifo
Descansar um pouco no carregador.
Mas o patrão insistia,
Em levá-lo até pra aula de judô.

Aifo não ligava pro criador.
Ele se ligava e, por causa disso,
Desligava um pai de seu amor.
Oras, que desperdício!

Na apresentação do colégio,
Não era mais o pai a olhar,
Era o Aifo que apontava e filmava
Pra salvar na memória da celular.

O pai nem parecia
Que tinha percebido a dedicação
Marina havia treinado muito,
Mas papai só olhava a gravação.

Marina não entendia direito:
“O que havia de errado?
Era pra ser desse jeito?
Se fosse só pra filmar,
Qualquer um poderia ter feito…”

Até na hora da missa,
Aifo se metia onde não devia,
Passava áudios em voz alta,
Bem no meio da homilia…

Até que, numa sexta-feira escura,
Aifo caiu e quebrou a bateria.
Marina sentiu uma mistura
De pena do pai e alegria.

Sabia que o pai iria sofrer
Pela falta do eterno companheiro
Mas ficou, no fundo, alegre,
De ter o seu pai finalmente por inteiro.

Passaram o fim de semana juntos
Tomaram sorvete, compraram um vestido,
Marina nunca havia notado
Como seu pai era divertido!

Conversaram bastante!
Papai contou histórias legais
Sobre suas brincadeiras de infância,
Sobre as plantas e os animais.

Contou que corria na rua,
Subia em árvores, soltava pipa,
Andava de patins e de bicicleta
Marina adorava as aventuras
De seu pai divertido e atleta.

Foi um fim de semana
Realmente inesquecível!
Papai até percebeu que Aifo
Não era lá tão imprescindível.

Na segunda-feira, no entanto,
Quando papai a buscou no colégio,
Marina já não se sentiu mais feliz,
Papai havia comprado o novo Aifo X.

Marina resolveu então contar
O motivo do seu desencanto
Chorando, pediu a seu pai
Que Aifo não atrapalhasse tanto!

Papai ficou realmente chocado!
Não sabia que Aifo entristecia Marina
Resolveu fazer um combinado
Para reconquistar a menina.

“Durante o fim de semana inteiro,
(Promessa de pai pra filha)
Aifo ficará pra escanteio,
E o papai será só da família!”